X

Tudo o que você mais ama

Assine para receber muitas novidades,
promos, dicas e achados do fantástico
universo online. E claro,
tudo isso com muita inspiração.

03/02/2021 | Tatiana Baronian

Tour pelo apartamento dos anos 20 da Tati Baronian, em Paris

Tudo Lifestyle História

Antes de mostrar para vocês o meu apartamento, eu preciso dizer que achar um lugar em Paris não é algo fácil. Com o efeito da procura maior do que o da oferta, o mercado imobiliário por aqui é super criterioso na escolha dos seus inquilinos e ainda conta com uma supervalorização de espaços bem pequenos. 

Na busca pelo nosso apartamento, optamos pelo distrito 15 de Paris (15 eme arrondissement) por considerá-lo um lugar relativamente central (aproximadamente 15 minutos da Torre Eiffel), bem familiar e também com ofertas de apartamentos maiores por preços mais justos. Aqui é assim, quanto mais badalado e mais no centro, mais caro vai ser a conta no final do mês.

Outro ponto curioso sobre este processo é que a procura por um lugar na Cidade Luz é tão acirrada que não é você quem escolhe o apartamento: é o proprietário que escolhe você. Ou seja, depois de visitar mais de vinte apartamentos, vivemos momentos de ansiedade até que fossemos ‘aceitos’ pelo que nós nos interessamos. Acredito até que demos muita sorte, pois fomos os primeiros a visitar o nosso apartamento e ainda  no táxi, voltando da visita, fizemos a proposta e em pouco tempo recebemos a aprovação.

Meu prédio é de 1920, e tem o estilo bem parisiense. A história da arquitetura de Paris vai ficar para outro dia, mas o que eu posso dizer é que ele tem o estilo clássico Haussmaniano com aquelas janelas longas, com as sacadas de metal, além de um elevador micro bem clássico, com portas sanfonadas, onde cabemos só eu e a Jojo (que vocês vão conhecer mais para frente).

O apartamento tem 70m2 e todas as características de um apartamento francês. Uma das mais notáveis é que o banheiro (toilette) é separado da sala de banho. Eles geralmente ficam ao lado da cozinha e não próximos ao quarto, pois essa era a maneira que antigamente eles usavam para otimizar o encanamento. 

 Outra coisa que me encantou por aqui é que o apartamento é muito iluminado e bate sol o dia todo, mesmo nos dias mais curtos de inverno. Além disso, ele ainda tem o piso de madeira original que dá um charme a mais ao espaço, ou seja,  foi amor à primeira vista.

Logo na entrada, temos um espaço que adaptamos para deixar os sapatos — um dos hábitos franceses que levamos para vida: sempre entrar no apartamento descalço

Colocamos um skate nosso antigo para servir de apoio e fugir dos móveis prontos que tem essa função. Bem ao lado, o toilette que era sem graça ficou super alegre com esse papel de parede da Cole & Son que eu mesma coloquei. Aliás, tudo aqui, dos móveis às luminárias, foi colocado por nós.

a sala é a parte que eu mais amo. Ela é um Double Sejour, isto é, são duas salas separadas com uma grande porta dupla entre elas. Quando eu me mudei, eu usava a segunda sala como sala de TV e escritório, mas depois de um tempo, nós percebemos que a gente quase não desfrutava da sala dessa maneira. Então, diminuímos o escritório, tiramos a TV, et voilà, aumentamos o espaço e agora temos uma visão mais ampla do apartamento. 

Também demos um toque especial com o espelho da Ferm Living e o vaso de coração da Seletti. Os quadros que percorrem as paredes do nosso apartamento são um mix. Uns foram trazidos do Brasil, entre eles alguns que estão há anos na família e outros foram comprados durante as nossas viagens. 

No corredor, eu tenho expostos documentos antigos de familiares que fugiram da guerra da Armênia e passaram aqui pela França, até chegar ao Brasil. São pequenos detalhes que trazem toda uma história de vida para esse lugar.

Na sala de jantar juntamos móveis mais novos com as cadeiras da mesa de jantar garimpadas no mercado de pulgas de Saint Ouen. O tapete a gente comprou na nossa viagem para o Marrocos (confira aqui) e a lâmpada macaco (na sala com o sofá azul!) é também da Seletti. Muito do mobiliário básico foi comprado na Ikea e também na Maison du Monde

Adoramos colecionar coisas de viagens. Cada cantinho da nossa casa tem uma lembrança de algum lugar. Na cozinha, por exemplo, temos pratos de vários lugares que fazem a alegria da mesa quando são dispostos.

 

Para contrastar, o único lugar da casa que eu considero mais básico é o nosso quarto, que depois de tantas cores e detalhes no resto do apartamento, tornou-se um refúgio de tranquilidade.

Deu para ver que o nosso estilo não é muito básico. Uma das coisas que mais me dá prazer é poder misturar esses detalhes de decoração do moderno com o antigo. Dispor algumas peças de arte com objetos que contam a história da minha família e poder emoldurar todo esse ambiente com o estilo clássico dos apartamentos franceses tem sido uma experiência deliciosa. 

Para finalizar, deixo com vocês mais detalhes da nossa casa por aqui. Aurevoir!

Em destaque

assine nossa newsletter

Voltar ao topo Voltar ao topo