X

Tudo o que você mais ama

Assine para receber muitas novidades,
promos, dicas e achados do fantástico
universo online. E claro,
tudo isso com muita inspiração.

26/06/2020 | Juliana Cunha

Ronda da semana: Reels,comer fora e fé sem falhas

Tudo Lifestyle História

Saúde mental é coisa séria 

Sabe aquela história de achar que seu problema é menos válido porque tem comida, casa e roupa lavada? Pois é, ele pode levar pessoas em depressão a casos extremamente problemáticos pelo medo de dividir o problema. Segundo o professor de psicologia clínica Andrew Solomon em entrevista à Folha de S.Paulo, estamos minimizando a gravidade de ter uma doença psicológica porque elas parecem superficiais frente ao cenário pandêmico; e isso, meus amigos, é um equívoco e tanto. A subnotificação tem consequências catastróficas, e ele dá a dica de se manter em contato com outras pessoas.” Quando você está muito solitário e isolado, a ideia de procurar outras pessoas parece uma coisa enorme e pouco atrativa”, pontua ele, que aconselha: “Use qualquer tecnologia que estiver disponível e fique em contato com outras pessoas.”

Ai, que saudade de um guardanapo de linho

 

Ir a um restaurante sempre teve muito a ver com a experiência. Tem lugares cujas comidas podem não ser as melhores do mundo, mas uma série de fatores me faz amá-los mesmo assim: o ambiente, os garçons que conheço, os vinhos que tomo há anos, as louças que parecem escolhidas a dedo, as ruas que me são familiares. Essa matéria delicinha do NY Times reuniu depoimentos recheados de memórias afetivas com restaurantes mundo afora. Que saudade — de tudo isso, e de não ter que lavar louça depois. 

Instagram, get'cha head in the game

 
 
 
View this post on Instagram
 
 
 

A post shared by CAROL (@carol) on

 

Se seu feed do Instagram não está tomado pelo Reels, chuto que você não passa mais de dois minutos por dia por lá. Brincadeiras à parte, o aplicativo estreou sua nova ferramenta, que é uma evolução do já existente Cenas, para competir com o gigante chinês TikTok. Ele ganhou uma nova aba, como já havia para o IGTV, e agora extrapola os stories. “Percebemos que muitos criadores estavam investindo tempo para fazer esse conteúdo e acreditamos que ele poderia ir além do stories”, foi o que declarou Vishal Shan, chefe de produto do Instagram. “Acreditamos que, com o Reels, podemos criar a nova geração de criadores de conteúdo.” Os vídeos, de até 15 segundos, competem diretamente com o TikTok, que tem mais de 500 milhões de usuários em todo o mundo. Além de gerar memes que têm sido reproduzidos em outras redes sociais — Instagram incluso —, ele tem um algoritmo de descoberta que envolve não só a popularidade dos vídeos, mas também novidades que fogem do escopo usual de cada user, garantindo diversidade.

“Não queremos restringir a criatividade dos usuários. O que importa é que quanto mais conteúdo houve para nossos usuários, melhor, mas também é bom poder concentrar coisas em um aplicativo só”, explicou Shan, conforme contou o Estadão. Parece que os instagrammers estão concordando, pelo menos até agora. Será que se repete o caso dos stories — no começo ficamos cabreiros com a novidade e persistimos no snapchat, mas depois nos rendemos ao uso?

Obs.: se você captou a referência do título, meu muito obrigada. Rs.

Wanderlusters, atenção

Com a seriedade do coronavírus, o jornal inglês The Independent fez uma lista de países que devem ser evitados por causa da pandemia, e adivinha quem está no topo? Isso mesmo, o Brasil. Me pergunto também se nossa presença será permitida tão cedo em outros países, que buscam evitar contato com locais em que o contágio segue preocupante. Ruim para a economia local, ruim para a sede de wanderlust que habita muitos por aí. 

Resumo do calendário da moda

 
 
 
View this post on Instagram
 
 
 

A post shared by Vogue Brasil (@voguebrasil) on

A Vogue compilou com maestria todos as permanências e rupturas do calendário gringo de moda. Tem os desfiles presenciais, os calendários próprios, os digitais, os formatos alternativos e os que vão mudar o esquema de lançamento de coleções. 

Como fica a arte?

 
 
 
View this post on Instagram
 
 
 

A post shared by Pinacoteca de São Paulo (@pinacotecasp) on

Já falamos aqui que a arte é fundamental para nos fazer compreender e atravessar tempos como esses. De alguma forma, o artista parece traduzir e até nos acalentar com suas produções. Não à toa, se popularizaram tours virtuais por museus mundo afora frente a impossibilidade de ir a um espaço físico consumir arte. Nessa entrevista para a Gama, Jochen Volz, diretor da Pinacoteca do Estado de São Paulo, fala sobre o papel do museu em termos sociais, para além de culturais. “Acho uma obrigação nossa experimentar, apesar das limitações em função da segurança de saúde, e promover esse encontro. É um encontro, sim, com memória, com o acervo, mas também uma construção de um senso coletivo, um senso da pluralidade, uma plataforma de debate.”

Nunca falha

 
 
 
View this post on Instagram
 
 
 

A post shared by Chico Buarque (@chicobuarque) on

Terminei essa ronda hoje de manhã porque a semana foi bem corrida e sempre gosto de escrever com calma algo mais intimista no início ou fim do texto. Inclusive, tivemos dois textos novos nesse estilo por aqui esta semana: o compilado do mês, com o time iLove.e contando as melhores compras da quarentena; e minha coluna com cinco livros da língua portuguesa para mergulhar nas palavras. Voltando, a escolha de finalizar a pauta hoje acabou sendo ótima, porque hoje acordei impactada por esse vídeo lindíssimo de dezenas de artistas homenageando Gilberto Gil, que completa hoje 78 anos. Me fez chorar. Espero que te emocione também, e te faça lembrar que a fé acompanha até quem não a tem. Beijos e bom fim de semana. 

Em destaque

assine nossa newsletter

Voltar ao topo Voltar ao topo