X

Tudo o que você mais ama

Assine para receber muitas novidades,
promos, dicas e achados do fantástico
universo online. E claro,
tudo isso com muita inspiração.

09/04/2020 | Juliana Cunha

Ronda da semana: loungewear e resiliência

Tudo Moda Lifestyle História

Será o fim dos desfiles e semanas de moda?

Na Vogue britânica, o crítico de moda Anders Christian Madsen analisou a validade de seguir com desfiles de moda durante e pós pandemia. Ao mesmo tempo em que os shows têm impactos econômicos - de modelos e fotógrafos de street style, de stylists e técnicos de som - e significam um cenário contextualizado para as peças devido ao que ele chama de “estrutura teatral e o movimento que as dão vida, lhes enchem de caráter e significado”, como seguir com um sistema de excessos em tempos de minimalismo, do consumo às relações humanas? A versão traduzida está aqui, na Vogue Brasil.

Marketing digital na pandemia

O BoF reuniu práticas de marketing que marcas devem seguir e brecar durante a temporada de coronavírus. De contato com influenciadores a descontos, são dicas efetivas para empresas de moda sem rumo. Tem um post original no site, mas elas foram compiladas no instagram. 

 Aquela comida que é capaz de transformar seu humor

 

 

 

View this post on Instagram

 

 

 

A post shared by Lena Mattar | Comes & Bebes (@lenamattar) on

Vi a foto dessa salada de feijão branco, ricota e figo no Instagram da Lena Mattar (recomendamos a newsletter dela aqui!) e estou sonhando com ela desde então. A receita você encontra neste link.

 Casa de artista

A capa da Architectural Digest deste mês é o cantor Drake e sua casa em Toronto, que é, olha, de tirar o fôlego. Acho que nesse momento nos tem feito um bem danado consumir imagens lindas. Aqui, tem um monte de materiais nobres como mármore, bronze e madeiras exóticas, todos bem executados pelo arquiteto Ferris Rafauli. Monumental, como definiu o próprio Drake.

O inalcançável mundo pós-corona

O biólogo Atila Iamarino, que faz sucesso com seu canal no YouTube e teve sua visibilidade projetada por produzir um conteúdo acessível e didático sobre o coronavírus - ele foi entrevistado no Roda Vida na segunda-feira, 30 de Março - deu uma entrevista à Folha de S.Paulo destrinchando a ideia de que a vida não será a mesma, mesmo com o fim da quarentena. Ele explica as consequências de não haver vacina e afirma que não podemos nos desesperar, mas provavelmente a forma como vivemos em sociedade irá ser transformada. Inclusive, ele começou esta semana a assinar toda quinta-feira uma coluna no jornal.

De onde vem a resiliência?

 

 

 

View this post on Instagram

 

 

 

A post shared by The New Yorker (@newyorkermag) on

Essa matéria é um pouco antiga: foi publicada originalmente no início de 2016 na New Yorker, mas eles reviveram o texto no Instagram esta semana e eu fui 100% impactada. Ele se aprofunda em estudos feitos por pesquisadores diversos quanto a crianças que tinham condições de vida mais delicadas - como alcoolismo na família, falta de renda, experiências de abuso e assim por diante - e conseguiam se manter resilientes, positivos e em crescimento apesar das circunstâncias externas. Segundo essas pesquisas, isso teria a ver tanto com fatores psicológicos e, portanto, individuais, como com elementos fortuitos, como ter a presença de uma figura como pai ou professor presente. Acima de tudo, uma questão fundamental para criar resiliência vem da percepção dos fatos, de ver um evento como traumático ou como possibilidade de crescimento. Podemos treinar nossa visão e nossos sentimentos - e a isso damos o nome de resiliência.

Podcast para quem é de podcast

 
 
 
View this post on Instagram
 
 
 

A post shared by COVETEUR (@coveteur) on

O Coveteur, site gringo que explora a cena de moda, beleza e decoração, lançou um podcast com os co-fundadores Stephanie Mark e Jake Rosenberg. O primeiro episódio, lançado na última segunda-feira, 6 de abril, tem um talk com Bobbi Brown, gigante da indústria de beleza, falando - não poderia ser diferente - sobre o tempo que estamos vivendo. O talk vai de “como se manter saudável dentro de casa” a dicas da expert sobre business em tempos de pandemia. Teve uma frase de Stephanie que me marcou: ela fala que é difícil não pensar em termos financeiros, mas é também hora de relembrar o porquê de ter começado sua marca.

Vestir-se para a quarentena tem algum efeito de verdade?

Eu adoro os diálogos entre a Leandra Medine, fundadora do Man Repeller, e a Harling Loss, diretora da marca. Esta semana, elas falaram sobre o ato de se vestir para trabalhar em casa. Enquanto Leandra continua a criar looks mirabolantes que têm tudo a ver com seu DNA - ela até lançou a #goingnowherebutfuckitimgettingdressed -, Harling não consegue fugir do moletom. Ela divide que, enquanto é um alívio saber que “a soma do que eu sou permanece intacta, independentemente de onde estou ou como me sinto ou o que estou fazendo ou o que estou usando”, também é “aterrorizante porque às vezes o escape é um deleite, e agora está indisponível.”.Ela divide que “talvez minha angústia por não montar uma roupa de verdade todas as manhãs não seja decorrente de falta de propósito, mas sim da falta da embalagem esteticamente agradável na qual eu costumava me enrolar todos os dias. E o que me resta é algo que parece muito mais vulnerável.” E você, é do time da montação ou do pijama?

Dias em branco

 
 
 
View this post on Instagram
 
 
 

A post shared by Vogue Italia (@vogueitalia) on

Extremamente simbólica a capa branca da Vogue Itália, divulgada na terça-feira, 7, via Instagram. O diretor de redação Emanuele Farneti finalizou sua carta do editor dizendo que “acima de tudo, branco não representa render-se, mas uma folha em branco esperando para ser escrita, a página de abertura de uma nova história que está prestes a começar.”

A força do loungewear

A editora-chefe do A Moda e a Cidade, Maria Rita Alonso, escreveu sobre como o loungewear já vinha se firmando fenômeno do setor antes de quaisquer previsões sobre o coronavírus. “O que faz a moda caminhar é um desejo coletivo meio inconsciente”, pontuou ela, que falou sobre os desfiles de fevereiro que traziam peças super confortáveis. Tudo o que a gente precisa para ficar em casa, né? Inclusive, no nosso moodboard da semana, o tom mais quente da temporada foi nossa inspiração. Até a próxima semana!

Em destaque

assine nossa newsletter

Voltar ao topo Voltar ao topo