X

Tudo o que você mais ama

Assine para receber muitas novidades,
promos, dicas e achados do fantástico
universo online. E claro,
tudo isso com muita inspiração.

X
12/06/2019 | Carla Rodrigues

Como celebramos os 25 anos da linha Viva Glam da MAC

Tudo Beleza História

“Se você não se amar, como você vai amar outra pessoa?”. A célebre frase é conhecida como marca registrada da drag queen e apresentadora Ru Paul, que dentre várias conquistas, acumula o pioneirismo de ter sido o primeiro rosto a estrelar uma campanha Viva Glam da M∙A∙C Cosmetics, em 1994. 

Desde seu lançamento, a Viva Glam tem um propósito bem definido: todo o lucro arrecadado com a venda dos batons da linha é revertido para o combate contra o HIV/Aids. Desde então, a famosa frase de Ru pode resumir bem o mood das campanhas da marca, promovendo aceitação e respeito a diversidade. 

Para celebrar os 25 anos de Viva Glam, além de uma nova leva de representantes e ativistas da causa (incluindo a brasileira Lea T!), M.A.C lança uma edição comemorativa dos batons, incluindo o tom de vermelho original Viva Glam I. Além disso, os lucros das vendas da linha passarão a ser revertidos também a instituições que ajudam na saúde e direito de mulheres, meninas e da comunidade LGBTQ+. 

Pensando nisso, em parceria com a M.A.C, reunimos um time power para celebrar o aniversário de Viva Glam com um shooting especial e também bater um papo sobre beleza, auto estima e aceitação, seguindo o lema da campanha e também no espírito do Pride Month, celebrado mundialmente em junho. Continue rolando e confira nossos convidados: 

Vinícius Brilhante

Criador de conteúdo, Vinícius Brilhante faz jus ao sobrenome com sua presença desinibida e animação. Mas nem sempre foi assim. Ele revela que a auto aceitação só foi possível depois de anos tentando se esconder. “A auto estima tem sido um fator disruptivo para que eu, Vinicius Brilhante, possa brilhar e para que eu tenha orgulho da bandeira que carrego comigo”, explica. 

A bandeira a que se refere é a LGBTQ+, em evidência principalmente em junho, em que se comemora o mês do orgulho gay. “Acredito que pela primeira vez na história o pride month tem ganhado força e destaque na sociedade. Por outro lado, isso não basta, enquanto países não aceitarem essa forma de amor e pessoas sofrerem e morrerem simplesmente por amar o que a sociedade julga ser diferente”, destaca Vinícius.



Lena Jimenez

A história da Lena Jimenez com a M.A.C já é antiga. “Eu uso os produtos há bastante tempo, sempre gostei muito da qualidade, e um ponto que acho bastante importante ressaltar é a variedade de tons de bases e corretivos”, explica. Isso porque além de jornalista, Lena também atua como maquiadora. 

Para ela, o mais legal da maquiagem é sua capacidade de marcar épocas e criar looks específicos a cada geração. Mas se tratando de sua autoestima e beleza, ela acredita que estão muito mais ligadas aos sentimentos. “Vem muito de dentro, só consigo “sentir” que eu estou bem inteiramente se estou confiante comigo. Vejo também que é um processo diário e não da noite pro dia, é um percurso longo de aceitação. E está tudo bem, o importante é ir”, aconselha.


Sueli Rodrigues

A autoestima é a principal lição que levamos quando conhecemos a história da Sueli Rodrigues. Depois de ser diagnosticada com um câncer no estômago e ter passado pelo tratamento, aos 70 anos a Su, com ajuda de uma colega de trabalho, começou a compartilhar seus looks e sua rotina através do Instagram e nos dá uma verdadeira aula de que estilo e beleza realmente não têm idade. “Procuro me vestir com aquilo que fica bem em mim e com o que gosto. Tendo essa autoestima, passo isso para quem me olha. Posso afirmar que agora tenho segurança em meus atos, antes era bem tímida, mas sempre fui de aceitar desafios”, revela ao explicar como está sendo a vida de influencer. 

A Su nos mostra que além de genuína, sua beleza vem também de sua alegria em compartilhar a vida. “Partilho minha idade e minhas idéias com pessoas que estão passando ou não pelo câncer, dizendo que tenham determinação, pois a cura é possível e se gostarmos verdadeiramente de nós, conseguimos vencer. Cada passo é uma conquista. E estar vivo é bom demais”. 


Felipe Miyasaka

“O Viva Glam foi um dos primeiros contatos que tive com a causa da AIDS e HIV, o que me fez querer conhecer mais e ver os caminhos que estava fazendo. Hoje com quase a mesma idade do produto, eu consigo ver tanto em mim quanto na sociedade as mudanças que aconteceram e ainda acontecem”. É com essa relação importante que o Felipe Miyasaka integra o team.

O Fê, que se divide bem entre o carão e um sorriso que contagia, conta que cresceu em uma família liberal, mas que não sentia essa liberdade na sociedade a sua volta. “Eu nasci e cresci no interior e sempre sofri um pouco com um jeito mais abrupto de cuidados pessoais. Mas aos longos dos anos, eu fui mudando e me cuidando cada vez mais e hoje tenho certeza de que estou em uma das melhores fases comigo mesmo. Beleza não é somente autoestima, beleza é se amar, acima de tudo”. 


Stheffany Wendy

Dona do I Need Brechó e de convicções bem definidas a respeito de um mercado de moda sustentável e consumo consciente, a Stheffany Wendy também acredita que o auto cuidado, com uma preocupação maior em cuidar da pele de maneira mais natural, é a melhor saída para se sentir bem.

Ela, que já relutou em aceitar sua própria beleza, hoje valoriza seus traços, que estão ligados a sua origem. “Minha autoestima mudou muito ao longo dos anos, passei a aceitar coisas que antes não gostava em mim. Amo ser mestiça, com uma mistura paterna do Peru e materna da Itália, me sinto única hoje em dia”. 



Isis Stervid 

Nossa assistente de projetos do iLovee Team, Isis Stervid, tem uma verdadeira relação de amor com a maquiagem. “Eu uso a maquiagem como uma ferramenta para me destacar, principalmente para mim mesma. Claro que me sinto bem sem make, mas com ela me sinto melhor ainda. Eu meio que criei um estilo próprio através da maquiagem. Não consigo sair de casa sem o meu delineado. Na realidade, me sinto outra pessoa se eu não uso,” revela.

Além de uma maneira de se destacar, ela também acredita que a make pode ser um ótimo boost para os dias em que a autoestima está abalada. “Nesses dias, a maquiagem me ajuda muito, principalmente com um batom vermelho”, finaliza. 

Em destaque

assine nossa newsletter

Voltar ao topo Voltar ao topo