X

Tudo o que você mais ama

Assine para receber muitas novidades,
promos, dicas e achados do fantástico
universo online. E claro,
tudo isso com muita inspiração.

30/11/2020 | Olívia Nicoletti

Coluna da Oli: banhos energéticos

Tudo Beleza História

Quem me conhece sabe: sou uma grande fã de banhos. Qualquer tipo e a qualquer momento: acho que banho tem o poder de mudar ou elevar a nossa energia. Por exemplo, sempre que estou triste ou estressada, boto a cabeça embaixo do chuveiro, uso alguns produtos com cheiros que amo e voilà!, me sinto mais calma e centrada. Também quando estou em momentinhos de amor comigo mesma ou acordo animada, tomo um banho e sinto essa vibração fluir ainda mais pelo meu corpo. Sendo assim (e como pisciana misticona que sou), adoro e acredito no poder dos banhos de ervas e especiarias. 

Não dá para saber exatamente onde nasceram os banhos de ervas, mas o uso medicinal das plantas é uma prática indígena ancestral. Esse tipo de ritual também foi bastante difundido pela Umbanda e, atualmente, até mesmo pessoas que não seguem nenhum tipo de religião viraram adeptas — meu caso. 

Há pelo menos cinco anos, tenho o costume de tomar um banho de sal grosso todo dia 31 de Dezembro. Esses banhos ficaram mais elaborados depois que comecei a frequentar uma terapeuta naturóloga, a Carol Parreira, da Oka Saúde, que incluiu flores e folhas nos meus rituais. De uns dois anos para cá, esse banho único no ano virou vários, bem mais elaborados e conscientes (consciência e intenção são a chave de qualquer ritual!). Foi a Carol, aliás, quem me ensinou que banho de ervas é intuitivo. Se escute, entenda os cheiros e toques que te agradam, perceba quando você precisa de um banho desses. Geralmente, o nosso corpo pede o que precisa. 

Com o novo ritual inserido na rotina, percebi um movimento de marcas que disponibilizam ótimos banhos prontos. Compro sempre os da Primeira Folha, que também tem outros produtos de autocuidado e espiritualidade no portfólio (ótimos presentes para o final de ano). A Banhô é outra que oferece um mix de ervas e especiarias para diferentes necessidades. 

Essas, claro, são opções mais fáceis e que têm o mesmo efeito de um banho feito em casa. Mas também é possível fazer um estudo de ingredientes e criar a sua imersão exclusiva. Para isso, Carol indica algumas plantas e flores:

Anis Estrelado: é um banho indicado para proteger contra energias negativas, promove o bom humor, energiza o corpo, atrai prosperidade e abundância e renova a autoestima. Também é uma planta usada para cólicas menstruais e alivia dores do feminino quando ingerida.

Artemísia: o chá de Artemísia é poderoso para retirar vícios e trabalhar a conexão com o sagrado feminino. O banho energético dessa planta trabalha clarividência e proteção contra toda negatividade.

Camomila: é um chá poderoso para aliviar sintomas de inflamação no organismo. Seu banho promove calma e acalento na alma. 

Arruda: retira todos os pensamentos negativos.

Guiné: desagrega todos os pensamentos e energias negativas do corpo. 

Sal grosso: retira todas as energias do corpo. Limpeza profunda do campo vibracional.

Alecrim: promove vitalidade, energia e alegria. 

Canela: prosperidade e pensamentos positivos.

Alfazema: promove equilíbrio e paz. 

Rosas brancas: para atrair paz, serenidade, tranquilidade, equilíbrio, abertura dos caminhos.

Manjericão: melhora o cansaço energético, revitaliza o corpo, trabalha profunda purificação da aura e traz equilíbrio para as emoções. Sensação de bem-estar e tranquilidade.

Vale lembrar que todo banho que leva sal grosso deve ser jogado do pescoço para baixo. “Como o sal grosso é um neutralizador de energias boas e ruins, não é indicado tomar na cabeça, porque é a região que nos conecta com a espiritualidade. A maioria dos banhos, na verdade, é indicado do pescoço para baixo”, diz. 

Em um ano tão difícil e que nos lembrou o tempo todo da importância de olharmos para dentro, celebrar as vitórias e pedir para que seja levado o que não serve mais pode ser um caminho para um futuro mais tranquilo, feliz e pertinho das pessoas que a gente não vê há tanto tempo. Não sei você, mas eu jogo pro universo tudo o que eu quero — e vou te dizer que ele responde. Basta entender o clichê e confiar no seu processo. 

Um beijo com muito carinho e feliz ano novo, 

Oli.

Em destaque

assine nossa newsletter

Voltar ao topo Voltar ao topo