X

Tudo o que você mais ama

Assine para receber muitas novidades,
promos, dicas e achados do fantástico
universo online. E claro,
tudo isso com muita inspiração.

04/06/2018 | Isadora Diógenes

4 Mulheres Falam Sobre Amor Próprio no Dia dos Namorados

Tudo Moda Lifestyle História

 

Solteira sim, sozinha nunca. Afinal temos a nossa própria - e melhor - companhia. É com esse mood empoderado que a AMARO, e-shop queridinho que está na nossa curadoria, celebra o Dia dos Namorados com uma super programação no seu Guide Shop da Oscar Freire (Rua Oscar Freire, 978). São ações e talks, como um dia de consultoria de estilo, instalações incríveis inspiradas em cristais e talks interessantes, que buscam mexer com os cinco sentidos de quem entra na loja - que, aliás, por si só já vale uma visita para uma experiência de compra bem diferente.

Motivadas por esse clima girl power, convidamos quatro musas para estrelar uma matéria-editorial, que foi clicada no próprio Guide Shop, e bater um papo gostoso sobre feminismo e a beleza de ser uma mulher inteira e suficiente para si. Ficou curiosa para saber quem são elas? Então, role a página para baixo, confira as entrevistas e aproveite para shop the shoot!


A instalação incrível inspirada em cristais é uma atração à parte no Guide Shop

BRUNA VON SPERLING

A brasiliense Bruna Von Sperling mudou para a terra da garoa há cinco anos e, de lá para cá, já trabalhou em escritórios de arquitetura até tomar coragem para empreender e abrir o seu próprio, focado em arquitetura comercial, com cenografia e “com um pézinho nas artes”, como a mesma definiu. 

Entre outros assuntos, a ruiva compartilhou que seu processo de conhecimento próprio tem sido intenso. “Atualmente eu não namoro e achei necessário esse momento na vida para me conhecer, cuidar de mim. Talvez seja até egoísta, mas já estou focada nisso há uns dois anos”, confessa. Claro que depois disso, ficamos super intrigadas e quisemos saber mais sobre esse novo momento da Bru.


Playlists de mindfulness foram criadas para você relaxar e meditar nas estações apreciando uma Cerveja Hoegaarden

iLovee: Bru, conta mais sobre essa sua fase focada em se conhecer.

Bru: Na verdade, é um processo comigo mesma e acho que é essencial para todo mundo. É uma questão de se conhecer e se entender para estar suficientemente bem e sem a necessidade de ter alguém para depositar nossa felicidade, desejos, angústias… Acho que só assim estaremos completas e bem para compartilhar e agregar na vida de outra pessoas.

iLovee: Que lindo, Bru! Bom, você é arquiteta, certo? A gente sabe que nem sempre ser mulher nesses mercados é fácil e é muito inspirador você ter coragem de arriscar e abrir seu próprio estúdio.

Bru: Tem sido incrível, uma experiência muito forte e marcante. Acabo tendo mais liberdade para tomar minhas decisões e quando eu posso escolher uma equipe, sempre procuro trabalhar com mulheres. Eu não sou uma grande ativista do feminismo, sabe? Mas acho que juntas temos um poder incrível, tenho tido cada vez mais experiências nesse sentido. É importante nos valorizarmos, é impressionante como conseguimos dar conta de coisas que nem imaginamos. 

 

iLovee: Claro, concordamos muito com tudo. Infelizmente, ainda vivemos em uma sociedade machista e nem todo mundo consegue ter acesso a esse tipo de informação desde cedo. Como foi o seu processo de desconstrução e empoderamento?

Bru: Minha criação foi bem quadrada e tradicional, mas em algum momento eu senti uma força aqui dentro gritando para olhar para mim, como um despertar para uma necessidade de conhecer o que eu gosto, quem sou eu, qual meu propósito. Nesse processo de busca, acabei conhecendo mulheres maravilhosas que já tinham passado por algo semelhante e é transformador quando você consegue identificar questões em você e se permitir entender. Não vou dizer que não é dolorido, mas é transformador e isso tudo me impactou muito para cada vez mais buscar conhecimento e ler sobre assuntos como o feminismo.

iLovee: Que delícia escutar tudo isso, Bru! Bom, para esses Dia dos Namorados, a AMARO preparou uma programação especial focada no público feminino, cheia de momentos deliciosos e que vão possibilitar um auto conhecimento. Divide com a gente como é um momento perfeito só seu!

Bru: No dia a dia, tento meditar de manhã, me alimentar bem… o básico, sabe? Mas eu realmente amo ficar sozinha e, no fim de semana, tiro aquele momento para colocar uma música que eu amo bem alta, acender incensos, fazer artes, usar todas as minhas máscaras faciais, rs. E, olha, não sei mais como é não fazer isso! Nos darmos esses momentos de amor próprio é delicioso e muito importante.

SHOP THE SHOOT

ADRIANA MARTO

Talvez você já tenha visto o trabalho da artista plástica Adriana Marto por aí. A paulista, formada em arquitetura, trabalhou anos em escritórios na parte de perspectiva, apresentações de projetos e aquarela, até que migrou para o desenvolvimento de projetos autorais e artísticos na publicidade, possibilitando trabalhar ao lado de grandes marcas. “Digamos que realmente me encaixei onde eu queria estar.”

 

iLovee: Dri, infelizmente falar de feminismo hoje ainda gera muitas polêmicas. Como você vê o movimento e se encaixa nele?

A: Meus pais são portugueses, então imagine o tanto de machismo cultural que tinha nessa família, rs. Há menos de cinco anos, fui começando a me desprender de algumas amarras e comecei a perceber esse comportamento no trabalho, querendo ou não se firmar em algumas áreas ainda é difícil. O machismo está implantado em todos os lugares e precisamos contestar, mostrar para o outro (ou outra) que ele(a) está errado(a), mas não de uma forma agressiva, sabe? É como um ensinamento… É chegar e falar “olha, você está vendo como isso tira a voz de outra pessoa?”


iLovee: Sim, Dri, dar voz é realmente muito importante. Inclusive, a campanha da AMARO é realmente focada nas mulheres nesse Dia dos Namorados e a gente quer saber como é estar participando nesse editorial...

Adri: Eu sempre namorei a vida inteira, era meio que imposto na minha família e há dois anos estou solteira e muito realizada. O fato de ter aprendido a me amar e me enxergar como uma mulher que basta, sem um homem para provar que sou alguém, é algo mágico. Claro que saio com pessoas, mas enxergar isso é um dos motivos para eu ter afirmado que agora sou eu comigo mesma e ter uma campanha de Dia dos Namorados focada em contar essas histórias é realmente inspirador.


Relax time! O super espaço também conta massagem e reflexologia vendada 

iLovee: E que mulher você é, Dri! Fala mais sobre esses momentos de auto cuidado.

Adri: Olha, eu sempre respeitei muito os meus gostos e, a uns dois anos atrás, vivi um relacionamento abusivo, psicologicamente falando. Eu me vi muito distante de todas essas coisas porque vivia a vida do outro e quase perdi meu posicionamento no mercado de trabalho. Ter conseguido me livrar disso, voltar a fazer o que eu gostava e a praticar os esportes que eu praticava, me faz dar valor a cada momento até tomar um banho demorado ou ler uma matéria engraçada na internet. 

SHOP THE SHOOT

 

WILAIZE LENUD

“Mais alta que você”. É com essa frase que somos recebidos ao entramos no Instagram da Wilaize, mas garantimos que a altura não é o que mais chama a atenção quando conhecemos essa power mulher.

Sempre foi apaixonada por moda, mas a naturalidade em conhecer e se relacionar com os outros acabou levando a Wila para a publicidade. “Estudei minha vida inteira moda e meu sonho era ser pesquisadora", conta, "Mas como sempre tive facilidade com pessoas, acabei indo para a área de gestão de influenciadores e eu realmente amo esse mundo.”

 

iLovee: Wila, seu trabalho é realmente muito inspirador...

Wila: Nossa, eu amo! Eu realmente acredito que pessoas têm poder sobre tudo e podem transformar de fato qualquer coisa e isso motiva muito o meu trabalho. Trabalho também com festivais, cena cultural… Se envolve música, pessoas e arte, eu estou lá, trabalhando ou consumindo, rs.

iLovee: Que delícia! Mas esse ramo ainda é um pouco novo, né? Conta mais…

Wila: Sim, as redes sociais levaram a isso, né? Para mim, essa coisa de influenciadores não é só sobre influenciadores… Acabamos criando um relacionamento que vai além do trabalho, é muito mais sobre chamar pessoas para fazer projetos colaborativos e criativos, sem só usar uma imagem. Na verdade, meu papel é conhecer gente e achar projetos que tenham a ver com cada um. Acredito muito nesse formato para o mundo dar certo. Se você pensar, o jeito de se vestir da pessoa é uma mensagem e, quanto mais natural isso for, melhor!

iLovee: Agora vamos falar sobre feminismo…

Wila: Nossa, eu sou a melhor e pior pessoa para isso, rs!

iLovee: Sério? Por quê?

Wila: Porque eu sou tipo a chata que fala mesmo. Aquela que está na apresentação do projeto, vê algo que pode ofender qualquer mulher e fala: “Isso está errado e não representa o projeto que eu quero.” Só que esse momento é em uma mesa com umas dez pessoas, rs.

iLovee: Mas isso é bom, certo?

Wila: Claro! Por mais que existam segmentações no feminismo - feminismo negro, branco -, o todo é sobre, por exemplo, eu estar aqui hoje na Amaro, às vésperas do Dia dos Namorados mas sem um namorado e falando do meu trabalho, sobre quem eu sou… É sobre estar com mulheres incríveis, sem necessariamente ter um homem por trás. É sobre mostrar que somos indivíduos únicos e completos. Estamos muito mais que nos empoderando, estamos nos emancipando. Hoje, a gente se preocupa com a gente, com estar bem, em fazer exercício, mas sem ser para emagrecer, sabe? E minha relação com isso é diária, eu levo para o meu trabalho, para a vida pessoal, para os relacionamentos, eu me tornei uma pessoa muito melhor por isso. Na real, eu tenho o feminismo na minha vida desde que eu nasci… Minha avó é mãe solo, minha mãe é mãe solo, então eu sempre convivi com mulheres guerreiras.

 

iLovee: Uau, Wila! Então, digamos, que você desde sempre aprendeu que um momento só seu é realmente valioso.

Wila: Sim, muito! Apesar de viver muito da noite, com festas e tal, eu amo o dia! Amo acordar, caminhar, fazer um suco diferente… Eu sou bem chata com alimentação, sabe? Acho que é o maior zelo que tenho comigo. Também amo ler, sou viciada em comprar livros. Ah, eu vou fazer 28 anos e até hoje coloco uma música alta e danço na frente do espelho com a minha gatinha, rs. É que eu sou aquariana, sabe? Sou muito eu! 

SHOP THE SHOOT

YASMIN SHIZUE

Tatuadora incrível e sócia de um estúdio só de meninas. Com esse breve resumo, já imaginamos que a história da Yasmin é super bacana, mas quer saber mais legal disso tudo? Para a Ya, a coragem de enfrentar todas as dificuldades para fazer o que se gosta, veio de uma pessoa muito especial: sua mãe. “Minha mãe veio de uma família tradicional japonesa e o pai dela a proibiu de estudar por ser a filha mais velha, assim ela cuidaria da casa e dos irmãos enquanto eles trabalhavam", conta, "Claro que ela achou isso um absurdo e resolveu trabalhar servindo cafezinho em uma pizzaria na frente da casa dela, ou seja, minha inspiração começa na minha mãe.”

 

iLovee: Nossa, Ya, sua mãe é uma power mulher mesmo...

Ya: Sim! E o melhor? Meu pai era artista plástico então imagine como foi para meus avós super tradicionais ver a filha namorar um artista, sem ter aquele pedido formal de casamento. Eles apenas compraram um terreno e ela saiu de casa, rs! Antes disso, quando fez 18 anos, também voltou a estudar, fez faculdade, viajou sozinha… Ela me ensinou a ser independente e a ir atrás das minhas coisas. Ela me criou do jeito que ela queria ter sido criada.

iLovee: Quanta inspiração! E, claro que isso te influenciou nesse novo momento com o estúdio, certo?

Ya: Muito! Antes eu tinha um estúdio com meu cunhado, ele tatua a mais tempo que eu, e o espaço era muito no estilo dele com uma decoração mais masculina e tradicional, sabe? Nos dávamos super bem, mas venderam a sala que a gente locava antes do fim do contrato de aluguel, acredita? Nesse meio tempo, a Sabrina, uma das minhas melhores amigas e que me ensinou a tatuar, quis vir morar em São Paulo e morar comigo. Acabou que resolvemos arriscar e estamos fazendo tudo como a gente quer, inclusive com uma parede rosa e uma geladeira holográfica! Hoje a maioria das minhas clientes são mulheres, que curtem o meu estilo de tatuagem, com linhas mais finas e delicadas.

 

iLovee: Ya, e sobre sua família… Como você contou, seus avós são japoneses e muito tradicionais. Como é a relação deles com o fato de você ser tatuadora?

Ya: Minha avó por parte de mãe tem 87 anos e é super ativa. Faz vôlei, aulas de pintura e teve um preconceitozinho no começo até que um dia bateu uma curiosidade e veio me perguntar como funcionava, acredita? Expliquei meio por cima e ela perguntou se era possível pintar na pele uma das suas pinturas com todas as cores e eu disse que sim. Ela ama cores e, depois desse dia, passou a achar o máximo!

iLovee: Que fofa! E com todas essas influências, conta mais sobre como é sua relação com você mesma.

Y: Eu nunca tive muitas frustrações, só quando eu era mais nova porque era mais gordinha, aí fui crescendo e acabei emagrecendo. Sempre gostei de me arrumar, usar o cabelo que eu queria, sabe? Desde o ano passado comecei a tirar um dia para ir ao salão fazer a unha. Eu passei por um processo complicado quando meu pai ficou doente e eu tive que viver só para isso… Quando ele faleceu, entendi que eu precisava cuidar de mim, comecei a fazer aulas de circo, por exemplo, e terapia também. É muito importante cuidar tanto do físico, quanto da mente. Acho uma delícia me auto descobrir. Desde o ano passado, inclusive, estou fazendo coisas que me tiram da zona de conforto, como viajar sozinha, e esse ano quero acampar, vamos ver se vai dar certo...

SHOP THE SHOOT

Em destaque

assine nossa newsletter

Voltar ao topo Voltar ao topo