X

Tudo o que você mais ama

Assine para receber muitas novidades,
promos, dicas e achados do fantástico
universo online. E claro,
tudo isso com muita inspiração.

X
31/01/2018 | Maria Luísa Alves

Entre jornalismo, redes sociais e cinema: Um papo com Zabella

Tudo Moda Matéria

“Linda? Que nada, são seus olhos!” A gente jura que não, não são só nossos olhos. Durante nosso bate-papo, tivemos a certeza que Isabella Silveira, mais conhecida como Zabella, é realmente uma menina-mulher linda e muito interessante, que não passa despercebida por quem a segue no Instagram ou a vê passeando pelas ruas de Teresina, no Piauí, onde ela mora. Seu perfil no Insta – por onde a conhecemos e nos encantamos com ela logo de cara – é uma dose diária de inspiração: sua paixão por cinema faz suas poses, legendas e até vídeos serem quase extraídos de um filme vintage.

Essa palavra, na verdade, define bastante a Zabella – também chamada, fora das redes sociais, de Isa, Bella ou até Zazá: um misto de influências dos anos 20, 60 e 90, que, juntos, dão a essência artística da nossa estrela da matéria de hoje. “Eu costumo definir tudo o que eu faço como ‘arte’. Não gosto de me rotular.”

SHOP THE LOOK

*As peças usadas pela Zabella ainda não estão na nossa curadoria, mas você pode encontrá-las nas lojas físicas da Lola e Maria.

Com bastante personalidade, Zabella fez nossa conversa fluir fácil porque tinha sempre uma resposta inspiradora para qualquer pergunta. Seu background – uma mescla de direito com cinema, teatro e até jornalismo – faz dela uma pessoa super bacana e cheia de história pra contar. Em qualquer oportunidade, deixava claro o quanto valoriza a beleza e essência de cada mulher. Para ela, não precisamos ser escravas da moda e nem da maquiagem, e devemos enaltecer nossa beleza própria. “Muitas meninas me falam ‘eu queria ter seu maxilar!’, e eu digo ‘não, você tem sua própria beleza’. Não tem como e nem por que você comparar minha beleza com a sua.”

As pessoas têm que parar de vestir roupas que estão na moda só para ficarem “mais bonitas”. Elas já são bonitas. Antes de tudo, nós temos que ser a nossa maior inspiração.

 

É interessante ver como ela, que exala uma vibe tão calma e leve – que combinou perfeitamente com o styling feito com peças da Lola e Maria, novo e-shop por aqui –, tem opiniões fortes e muita atitude. “Eu sou muito camaleoa”, diz, “cada dia é um dia e o meu jeito de ser muda conforme meu humor. Tem dias que sou mais romântica, outros mais moderna e por aí vai”. Se você, como a gente, também já ficou encantada pela personalidade multifacetada da Zabella, vai adorar ler na íntegra a entrevista a seguir que fizemos com ela sobre sua vida, jobs e referências: 

 

iLovee: Na sua bio do Insta, temos uma definição sua, mas precisamos te perguntar de novo: quem é Zabella?

Zabella: Olha, a definição que está no meu Instagram nem diz muito quem sou eu. A Zabella é uma mulher que está terminando o curso de direito, mas também é jornalista, digital influencer, modelo e atriz. São cinco profissões em uma só!

 

iLovee: Uau! E como você lida com administrar tudo isso?

Zabella: Vou contar a verdade para vocês: vim de uma outra dimensão que vocês não conhecem ainda e o meu dia tem 50 horas, rs – seria ótimo se meu dia rendesse tudo isso! Brincadeiras à parte, sou uma pessoa que nunca foi de fazer uma única coisa então por mais que essa correria não seja muito fácil de lidar, é o que eu gosto de fazer. Não gosto do ócio. Sei que, às vezes, ele é importante, mas quando é frequente é algo insuportável para mim. 

 

iLovee: A gente consegue ver a conexão entre jornalismo, redes sociais e arte, mas e o direito? Como entra na sua vida? É o que você sempre quis cursar?

Zabella: Então, o direito é importante pra mim, mas não é o que eu quero seguir. Isso vocês já devem ter reparado! O que acontece é que eu não gosto de começar uma coisa e não terminar então vou até o fim com o curso. É corrido e difícil, porém é muito prazeroso. O próximo passo será ingressar numa faculdade de cinema, que é a minha arte preferida! Gosto de escrever roteiro, dirigir, é algo que me dá prazer. E adoro aparecer no conteúdo que eu estou produzindo – dá para ver bem isso no meu Instagram.

 

iLovee: Claro, seu perfil é muito especial. Falando mais dele, como você acha que a sua paixão por cinema influencia na forma como você cuida do Insta?

Zabella: Acho que influencia muito as minhas fotos porque elas não são tão “secas”, geralmente tem algum movimento, um sentimento... Sempre que eu fotografo, coloco uma música ou tento fazer como se tivesse de fato sendo dirigida em algum filme. Isso é importante: as pessoas precisam te sentir para você não ser mais uma e não deixar de demonstrar a sua personalidade através de uma rede social.

 SHOP THE LOOK

*As peças usadas pela Zabella ainda não estão na nossa curadoria, mas você pode encontrá-las nas lojas físicas da Lola e Maria.

iLovee: Faz todo sentido! E o que você acha de toda essa onda de “digital influencers” que existe hoje?

Zabella: Todo mundo tem uma concepção de que redes sociais e digital influencers são “fúteis”, e realmente existe uma porcentagem delas que é. Mas não é todo mundo. Eu tento demonstrar quem de fato eu sou e que não é sempre assim. Quando você tem um determinado número de seguidores, você tem a responsabilidade de mostrar que é mais que aquilo, que está vestindo mais que um pedaço de roupa: mostrar que a moda tem história. Infelizmente, tem muita gente que acaba ficando perdida nesse mundo nas redes sociais, inclusive algumas próprias digital influencers...

 

iLovee: Isso é verdade! E como você se vê nesse papel de influenciar pessoas?

Zabella: Nesse momento, o que eu quero fazer é isso: continuar minha vida como digital influencer. Porque, para mim, é algo comum, natural. Assim como eu influencio com meu estilo de vida as pessoas que me seguem, também sou influenciada por quem eu sigo de alguma forma. 

 

iLovee: E, Zazá, você já comentou e a gente já tinha reparado na sua paixão por vídeos. Você pretende levar isso adiante, além de estudar cinema?

Zabella: Sempre me perguntam sobre vídeos! Eu faço algumas edições e vou postando no meu Instagram. As pessoas cobram muito, me falam para eu criar um canal no Youtube, e eu penso “mas eu vou falar o quê, minha gente?” Os vídeos que dirijo são muito independentes, eu gosto de gravar até com meu iPhone. Mas, mais pra frente, até tenho pretensão de criar um canal, só que antes preciso me programar. Tenho uma preocupação grande com isso, com o que eu vou passar... Os meus vídeos retratariam a minha vida em uma mistura de cinema, música, pensamentos, dicas, tudo. Uma omelete meio hipster! E tudo bem se não interessar a algumas pessoas, porque eu vou fazer mais por mim mesmo, bem pessoal e com a minha cara.

No final das contas, eu não me preocupo tanto em agradar as pessoas. Eu tento ser o mais natural possível e fazer com que se sintam em casa no meu Instagram.

 

iLovee: Você disse que também é atriz. Você acha que o teatro te ajuda a trabalhar como modelo também?

Zabella: Eu já atuei, mas foi em teatro independente no Piauí. Estou com planos mais pra cá, em São Paulo, agora. Eu gosto bastante, é minha forma predileta de me expressar. E, quando eu vou modelar, isso obviamente transparece. Eu acabo tendo facilidade em lidar com fotos. Inclusive, nesse último final de semana estava em um trabalho e o fotógrafo disse “faz uma pose assim”, e, quando eu vi, eu tinha começado a dançar! Perguntei “eu posso dançar?”  e ele disse “fica à vontade”, rs. Tudo fluiu. Você tem que entender que quanto mais você pensar “ah meu Deus, e se eu fizer e não gostarem?”, mais difícil e forçado vai parecer.

 

iLovee: Que demais! Agora, queremos saber dos seus truques de make e beauty! Você pode compartilhar com a gente?

Zabella: Eu tenho preocupação muito grande com a minha pele, tenho algumas técnicas de cuidado. Minha avó me ensinou a passar água gelada de manhã, por exemplo! E sobre truques de make, a maquiagem que eu uso em cada dia depende da minha personalidade. Às vezes, eu quero sair de um jeito, e às vezes de outro. Eu não gosto de nada muito montado, não uso muita base, por exemplo, porque eu acho que você acaba se escondendo atrás da maquiagem. Eu gosto de brincar de maquiagem, destacar minha personalidade. Às vezes eu quero passar um delineador vermelho, o que eu faço? Pego um batom vermelho, um pincel e passo. As pessoas perguntam “você usou um tutorial?” Não, não usei. Eu xinguei bastante antes de dar certo, rs, mas depois sempre dá. A maquiagem é uma coisa para realçar aquilo que você é.

 SHOP THE LOOK

*As peças usadas pela Zabella ainda não estão na nossa curadoria, mas você pode encontrá-las nas lojas físicas da Lola e Maria.

iLovee: Super inspirador, Isa. E agora conta um pouquinho sobre as suas referências de estilo? Você tem uma pegada vintage que a gente ama!

Zabella: Pode ser clichê, mas minha inspiração é a minha família. Tudo na minha família me influenciou: meu pai ser jornalista, minha vó ser costureira, minha mãe ser a pessoa incrível que ela era! Ela usava jeans pesados, colete... ela sou eu, basicamente. Minha avó sempre gostou muito de cinema, assim como eu. Quando ela era nova, ia ao cinema para fazer os vestidos igual da Audrey Hepburn – inclusive, Audrey é o nome da minha mãe! Eu tenho um colete da minha vó dos anos 60, um vestido da minha mãe dos anos 90... Sempre me perguntam de onde são os blazers que eu uso: são todos do meu pai! Eu pego um pouco de cada um deles. No final das contas, eu acabo vestindo a minha personalidade e esse é um ponto importantíssimo. Você tem que vestir você. Eu não gosto de nada me apertando, por exemplo, fico me sentindo estranha, esquisita. Você não vai deixar de ser feminina pela forma como você se veste. Gosto de peças agênero, de oxfords, de itens de alfaiataria, de peças folgadas... A sua feminilidade está além daquilo que você veste. Está no seu olhar e na forma como você reage frente a roupas e a situações. Mas, enfim, é claro que eu tenho referências meio vintage, como você disse. Gosto da Audrey, da Alexa Chung, uma coisa meio nova iorquina, meio francesa. Mas é muito do dia, eu sou muito camaleoa. Às vezes quero ser romântica, mas às vezes não. Acima de tudo, a gente tem que ser nossa maior inspiração. 

Em destaque

assine nossa newsletter

Voltar ao topo